03/09/2016

Resenha: Psicose

Título: Psicose
Autor: Robert Bloch
Editora: DarkSide® Books
ISBN: 9788566636154
Ano: 2013
Páginas: 240
Compre: Aqui

Sinopse:

Livro que deu origem ao mais famoso filme de suspense de todos os tempos. Psicose conta a história de Marion Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora.

Resenha:

Resenha escrita pela Thaís Snape.

Eu não iria resenhar o livro porque não sabia como descreveria tudo que senti ao lê-lo, mas como tudo que é bom precisa ser divulgado e, principalmente, elogiado, venho aqui contar para vocês como foi ler Psicose e tentar conseguir novos leitores e amantes dessa beldade.

Quando comecei a assistir a série Bates Motel, fiquei apaixonada e extasiada com a complexidade do personagem Norman Bates, isso porque eu só vi por enquanto a primeira temporada. Então, uma amiga emprestou o livro que inspirou a série. Como adoro suspense, tratei de arrumar tempo o mais rápido possível.

Marion, ou Mary, é uma mulher que sonha em casar-se logo com seu amado Sam, dono de uma loja de materiais que herdou do pai, porém, ele não contava com uma dívida de vinte mil dólares. Para quitá-la, vem trabalhando apenas para saldar essa quantia, sendo assim, não pode casar com sua amada em pelo menos três ou quatro anos. Para apaziguar a saudade, eles correspondem-se por cartas e raramente encontram-se por morarem longe e não terem dinheiro para morarem juntos. 

Se o problema era dinheiro, Mary acaba tendo uma desesperada ideia. Farta de trabalhar por tanto tempo no mesmo lugar e não ser valorizada, decide roubar seu chefe e fugir para quitar o restante da dívida de Sam Loomis e casar-se, mas como a viagem para Fairvale era longa e para despistar a polícia, ela demora muito mais do que planejava. Para piorar a situação, depois de horas na estrada e cansaço, uma chuva forte a impede de continuar, como se a sorte estivesse a seu favor. Acaba por encontrar um motel funcionando e trata de hospedar-se, o que ela não imaginava era que o dono era Norman Bates…

Mary estranha o lugar e o dono, mas como está cansada, não desconfia de nada. Aliás, como passará só a noite ali, não se sente preocupada e nem desprotegida, acha até engraçado como Norman comporta-se perto dela e acaba conhecendo um pouco da sua vida no Motel.

Enquanto isso, em Fairvale, Sam é surpreendido em sua casa com a visita de Lila, irmã de Mary. Ela procurava pela irmã e relata as últimas notícias e acontecimentos. Para aumentar a preocupação do pobre coitado, recebe a também a visita do detetive Arbogast que desconfia que ele esteja envolvido no roubo e no esconderijo de Marion. Fiquei com pena de Loomis, porque nós sabemos que ele é inocente; contudo, Arbogast não mede esforços para arrancar a “verdade” do interrogado, a pressão que fez chegou a ser palpável e até angustiante.
“Engraçado, pensava Sam, como acreditamos saber tudo sobre uma pessoa só porque a vemos frequentemente ou porque temos uma forte ligação emocional com ela”.

Com as poucas informações que coletou e as pistas que coletou, Arbogast chega finalmente ao Motel Bates, mas antes disso, deixa avisado a Lila cada informe que consegue para não preocupar a mulher que está desesperada para contatar a polícia sobre o desaparecimento de sua irmã.

Norman Bates é um homem reservado, sombrio e principalmente traumatizado pela forte dominação de sua mãe, uma mulher que privou-o de muitas pessoas e até momentos. Sua vida resumia-se a obedecer as ordens de suas mães e nada mais, a superproteção que recebeu acabou transformando-o em um homem perturbado, cresceu dividindo sua personalidade em ser o que sua mãe queria e no que seus pensamentos e instintos queriam.

Ler sobre os pensamentos de Bates era perturbador e assombroso, adicionado com a tensão que o autor passava, ficava impossível largar o livro. Eu estava vidrada e aflita com o final porque, inevitavelmente, você acaba querendo o bem de Sam e Lila. Ao conhecer a história de Norman, fui ficando fascinada e chocada com o que passou nas mãos de sua mãe, e com suas reflexões e observações. Ao relatar alguns trechos dos livros que lia ou já leu, ficava cada vez mais eletrizante e o suspense aumentava, porque você acaba conhecendo a capacidade e barbaridades que Norman é capaz ou será que não foi? Isso vocês descobrirão ao ler.

O nervosismo, tensão, apreensão e inquietude são as principais emoções que predominam no livro; eu nunca me senti tão alterada por uma história. Enquanto lia, meu nível de aflição estava tão alto que tomei vários sustos por pequenos barulhos que tinha em casa. A cada susto, meu coração ia a mil, e eu voltava a devorar as páginas e compreender a complexidade de Norman. Cada vez que a história retornava para ele, ficava mais chocada e abalada com cada detalhe que era fornecido.

Quando Sam e Lila decidiram ir ao Motel Bates para saber mais sobre o estranho desaparecimento e o que poderia ter acontecido com ela, pois não acreditaram na história que o Xerife Jud Chambers contou sobre o inofensivo e reservado Norman, fiquei dez vezes mais aflita e enlouquecida com a chegada do desfecho. De um lado, queria saber mais sobre o passado traumatizante e assombroso de Norman e, do outro, queria saber o que aconteceria com os quarenta mil dólares, Mary, Lila e Sam.
“Estranho como as coisas funcionam na vida real. Nenhum de nós suspeitou da verdade, nós só cometemos erro atrás do outro até fazer as coisas certas pelas razões erradas. E nesse momento, eu nem consigo odiar Bates pelo que fez”.

Bloch brincou com minhas emoções com uma facilidade exorbitante, com poucas páginas conseguiu causar-me emoções que não sentia em livros maiores ou em thrillers psicológicos. Com poucas palavras e maestria, o autor conseguiu deixar a obra arrebatadora de uma forma impressionante; além disso, tem a maneira que conseguiu transporta-me para o cenário de horror e sentir na pele o que os personagens passavam. Ainda não sei como não passei mal de tanta tensão; sim, falei várias vezes essa palavra porque eu descrevo o livro desse jeito: puramente perturbador e inquietante. Você não conseguirá mais ser o mesmo quando terminar a leitura, fazendo-o perguntar-se se não tem um pouco de Norman Bates em você.
“Todos nós somos um pouco loucos de vez em quando.”

Só tenho a dizer que se preparem para o final! De certa forma, terminou “bem”, mas as revelações e o depois de um personagem foi de deixar-me boquiaberta; as revelações que li foram arrebatadoras e espantosas. Ainda estou assombrada com a inteligência e enredamento intrínsecos na obra. 

Psicose é livro que todos deveriam ler e que deixa você com sede de mais, de querer ler mais sobre a vida de Norman Bates, de saber como foi sua infância detalhadamente, já que no livro vemos um Norman na casa dos quarenta anos. Fico um pouco aliviada com a série Bates Motel que fala sobre a adolescência dele.

A Darkside fez duas edições desse livro, uma em capa dura e outra em Brochura; eu li a segunda e o trabalho que fizeram ficou impecável. A capa que tem toda a essência da história, com páginas em preto e branco, uma diagramação perfeita que combina com as emoções que o livro passa e faz com que o leitor queira ter a obra em sua estante. Contudo, confesso que quero muito ter as duas edições, principalmente, a de capa dura, que é linda demais e que vale a pena ter.

O que resta-me fazer depois de ler essa magnanimidade é recomendar e recomendar e continuar a surtar toda vez que começo a falar dessa obra. Leiam e descubram sobre Norman Bates e preparem-se para o que o esperam. É um suspense perfeito para os amantes desse gênero e garanto que não vão se arrepender.
Comentários
24 Comentários

24 comentários:

  1. Olá, Thaís. Olá, Marcos. Tudo bem?

    Caramba, menina, quanta empolgação! Sei bem como é difícil escrever a resenha de um livro que a gente gostou muito.
    Eu tenho vontade de assistir Bates Motel, mas a quantidade de séries que eu assisto me impede.
    Eu curto muito histórias perturbadoras e sombrias, só não li Psicose ainda por pura falta de vergonha na cara! Hahaha

    Excelente resenha, parabéns.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  2. Eu AMO este livro!!! E fiquei mais encantada ainda por ele com essa resenha!
    Só não curto muito a série... sou aquelas loucas, fanáticas que não gosta das coisas qeu foram criadas... tipo essa história anterior da vida do Norman antes do livro... enfim, coisa de velha chata mesmo, rsrs.

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  3. Ola!
    Apesar de me considerar fa dos clássicos do terror, esse foi um dos poucos filmes que eu não assisti. Não por falta de interesse, mas por adiar tanto que acabei esquecendo.
    Quando fiquei sabendo do livro, decidi ler antes de ver o filme. Fiquei bem feliz em saber que o autor consegue nos transmitir certo medo e tensão em suas palavras, o que deve tornar a leitura eletrizante.

    ResponderExcluir
  4. eu vi aquele filme sobre hitchcock e fala muito desse livro. era um livro considerado apelativo, então hitchcock não conseguia apoio para filmá-lo. fez praticamente a revelia e com muito sacrifício. vc ia gostar desse filme, eu tb quero ler o livro. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  5. A minha iniciação científica do ano que vem vai ser inspirada nesse livro, acho a mente do Norman fascinante (de uma forma tenebrosa)

    www.heytutty.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá! Morro de curiosidade me ler o livro pq já vi o filme, é mto bom!Creio que a obra é mais rica pois trás mais detalhes da história, qro conferir com toda ctz!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Oi Thaís! Eu amei esse livro também, e não entendo pq demorei tanto para lê-lo. A parte ruim é que já havia visto o filme, então não tive a magia de me surpreender com o final.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Gente eu sabia do filme mas nunca procurei ver se tem livro hahaha parece bem interessante.
    http://vinipratez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ah meu deus, eu amo tanto o filme Psicose quanto Bates Motel, e imagino o quão louca e estasiada eu ficaria lendo o livro! Até então a forma como o Norman pensa é transmitido claramente, mas ter ele contando pra gente o que acha da situação, o que pretendia fazer, o que de fato passa pela sua mente, deve ser surreal e perturbador. Sua resenha ficou maravilhosa! Quero esse livro pra já. Em capa dura, de preferência hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Desde que foi lançada a segunda temporada de Bates Motel que eu assisto a série. E o Norman me deixou tão curiosa por saber mais que acabei procurando pelo filme. E este foi ótimo, apesar de ser em preto e branco. Depois de ver a série e o filme fiquei muito curiosa pelo livro também, principalmente sabendo que tem uma edição tão bem feita pela Darkside. Sua resenha conseguiu me deixar com ainda mais vontade de lê-lo, então vou tentar comprar o mais rápido possível.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  11. Esse livro é fantástico, sou apaixonada pelo filme e acompanho a série!

    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  12. Nossa, você não faz ideia do quanto que eu quero esse livro! Eu, depois de assistir Bates Motel como você, fiquei muito intrigada pela história do Norman. Tentei ver o primeiro filme, mas acabei não terminando, pois não me prendeu. No entanto, faz MUITO tempo que esse livro está na minha wishlist e não vejo a hora de comprá-lo logo. Fico imaginando que deva ser uma leitura muito tensa mesmo, ainda mais com tantas críticas positivas e um enredo fantástico. Gostei muito da resenha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá, Thais.
    Eu quero muito ler esse livro, mas sempre deixo para comprar depois hehe. Pouco conheço da história porque nunca vi o filme, nem as série, o que me vem a mente é a famosa cena no banheiro. Mas preciso ler e assistir também. Essa relação entre eles é muito interessante.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  14. Quero muito ler o livro, e ver a série também!!

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  15. Oi, Thaís!
    Amei sua resenha, menina! Fiquei louca para ler o livro! Eu já assisti o filme, mas faz bastante tempo, creio que vou rever. A série ainda não tinha me decidido por assistir, mas agora já estou bem motivada. Mas antes, gostaria de começar a ler o livro, pois sei que vou adorar. Amo suspense e esse enredo sempre me fascinou. Dica maravilhosa! Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Thais que resenha maravilhosa. Não leio livros de terror por isso mesmo: medo de sentir medo de cada barulho rsrs ou de ficar com uma aflição enorme. E pelo que percebo Psicose é um livro complexo e deixa o leitor com frio na barriga e surpreendido pelos detalhes que vão construindo o suspense ao longo das páginas. Amei a edição e espero que, se eu for ler o livro algum dia, que ele consiga despertar as mesmas emoções que lhe despertou

    ResponderExcluir
  17. Oi, Thais
    Tenho curiosidade de ler esse livro. Você não é a primeira a falar do final surpreendente. Quase todos falam isso, e fico curiosa em saber o porquê.
    Suspense é um gênero que gosto muito e acho que esse não me deixaria com medo.
    Gostei de saber que aprovou a obra. Espero ler ainda futuramente.

    ResponderExcluir
  18. Heey!
    Eu li esse livro ano passado e só tenho a dizer uma coisa: avassaladoramente bom!!
    Gostei da sua resenha e concordo com você em todos os aspectos.

    ResponderExcluir
  19. Nossa, eu não sabia que Bates Motel era baseado nesse livro! Quero ler agora, agora mesmo! haha
    É um pouco diferente do que vemos na série, já que lá o Norman é adolescente, mas dá pra ver que é a mesma pessoa.

    ResponderExcluir
  20. Oi Thaís
    Eu já vi o filme a muitos anos e nem sabia que tenha um livro, e agora também tem uma série. Não sou chegada em livros de terror mais acho que este livro é mais de suspense, que deve mexer demais com nossas emoções.
    Ótima dica.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Top Comentarista de Setembro, serão 3 ganhadores e você ainda pode ganhar um livro a sua escolha.

    ResponderExcluir
  21. acredita que ainda não assisti o bates motel?
    eu assisti o psicose a muito tempo atrás, eu tive muitos pesadelos por causa desse filme (tudo bem que eu era criança na época)
    quando eu vi que a darkside ia lançar o livro eu fiquei: preciso ler (tudo bem q está sendo minha reação com quase todos os livros da ed) sem falar que um amigo meu disse que a trama é muito melhor no livro (diz uma novidade)
    e depois da sua resenha ai que esse livro entrou para a minha lista

    ResponderExcluir
  22. Preciso rever este clássico. Desde que acabei a 4 temporada de Bates, tenho enrolado para ver..mesmo sabendo que a 5 temporada será a última. Esse jogo psicológico do personagem é algo tão cru e real que não tem como não querer aprofundar na vida do personagem. Seria bom entrar na mente dele e ver o quanto a existência da mãe o deixou daquele jeito.
    Este está na lista de desejados, faz tempo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  23. Esse livro virou uma leitura obrigatória pois adoro a série Motel Bates. E estou muito curiosa como vai terminar esse livro. Gostei muito da resenha que despertou ainda mais minha vontade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Nunca li o livro.Só assisti o filme algumas vezes.
    E se já ficava aflita com o filme,fico imaginando como me sentiria lendo o livro.
    Que pela resenha , me parece muito mais angustiante!

    Fiquei cheia de vontade de conferir esse livro! ;)

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo